F My stage: maldito arrependimento

16 de fevereiro de 2011

maldito arrependimento


Existem muitas poucas das quais eu me arrependo, de todas elas, esta é sem sobre de dúvida a qual eu me arrependo mais. É um arrependimento que, quer queira quer não, me vai seguir para sempre.
Arrependo-me de não ter ido mais cedo ver-te ao hospital, de não ter tido a coragem de o fazer. Choro só de pensar nisso, levo noites a chorar e a perguntar "porque é que foi não fui mais cedo? ao menos tinha falado com ela." De tudo o que se passou essa é a minha maior dor, não te ter ouvido, não me teres visto, não te ter dado um último abraço. Foi um acto inconsciente pensar  que ia ter tempo para falar contigo naquela cama de hospital, que ia ter tempo para me despedir de ti como queria, que ia ter tempo para que ouvisses o quanto te amava e o quão orgulhosa estava de seres minha mãe e de toda  força que sempre transmitiste. É verdade que já se passaram dois anos e poucos meses, mas esse maldito arrependimento segue-me, sim há alturas em que me sinto culpada de não ter tido tomates para sair de casa e de te ter ido ver e por isso peço desculpa. Não tive o tempo que desejava ter tido e o tempo que tive, não o aproveitei. Tive um pressentimento naquela quinta feira, sabia que já não te ia ter comigo, mas  porque é que não fui ter contigo antes? Tive medo é verdade, quis adiar o inadiável. Estavas em coma, mas mesmo assim quis-me despedir de ti apesar de não me veres, de não me poderes tocar. Vi-te deitada naquela cama e pensei "que estúpida patrícia, devias ter vindo mais cedo." Disseram que estavas à minha espera para depois poderes partir em paz, eu acredito nisso, porque depois de eu te ter dado um beijo, de ter dito que gostava muito de ti e de ter saído do quarto por não aguentar os nervos, tu partiste mãe.
Continuo cheia de saudades e isso ninguém me vai conseguir tirar, é uma dor que vive lado a lado comigo, numa espécie de relação amor-ódio. És e serás sempre um grande orgulho, um enorme motivo de força e eu vou continuar a amar-te até ao fim dos meus dias mãe.


Hoje as saudades vieram com força

8 comentários:

Soraia B. disse...

Está lindo! *.*
Tu não podias adivinhas isso querida. Devias tentar não te culpar por isso e aposto que ela sabe o orgulho que tens nela.
Força querida!

Obrigada :$

Beijinhos grandes

Suu disse...

é mesmo querida, gosto tanto *-*
Que texto maravilhoso, não tens nada de te sentir culpada. as maiores forças do mundo <3

Amêndoa disse...

podes ver online (:

mafalda disse...

true story. eles nunca dão o braço a torcer :b

Soraia B. disse...

Pois dormi :D

Beijinhos

Neuza disse...

Força querida, vais conseguir ultrapassar isso :)

PR" disse...

Querida, há tantas, tantas coisas de que nos arrependemos! Não penses nisso, mesmo sem te aperceberes, mesmo sem talvez sentires, ela tocou-te, ela sentiu-te e ficou feliz por ali estares, naquele momento. Digo-te isto e porque acredito plenamente naquilo que digo.
As mães têm aquele fantástico dom de tudo perdoar, por isso, continua somente a amá-la. Ela não quereria que te sentisses culpada.
Beijinhos cheios de sorrisos numa frustada tentativa de atenuar a dor.**

Sara. disse...

Podes crer Pat!
Força*